NB News

Porque alguns grandes não suportam o peso que carregam?

23 Jul, 2017

Pensando sobre as perdas de músicos de sucesso, como a recente perda do Chester Bennington do Linkin Park, nos deparamos com um universo que nos dá asas para chegarmos a muitos lugares, mas as vezes, nos tira a visão para longe. Realmente tudo tem um preço. Basta analisar e ver as perdas por mortes não acidentais que grandes músicos sofrem. E fica uma lacuna em várias partes. Família, fãs, bandas, tudo, fica desmoronado. O que nos resta é lembrar bons momentos, que muitas vezes se tem de sobra, e deixá-los vivos na nossa mente. 

Essa semana, dia 20/07/17, foi o vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, que infelizmente sucumbiu e cometeu suicídio. Deixou família, filhos, amigos, fãs, banda - todos perplexos. Chester era muito amigo do grande Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave, Temple of the Dog), grande músico influente e um dos fundadores do movimento grunge nos anos 90 (Um breve comentário aqui: Acredito que o pai do grunge seja "o cara", Neil Young, muito antes dos anos 90. De volta ...). Chris Cornell também se suicidou (18/05/17), e deixou estas feridas em todos. Algumas coincidências com a morte do amigo, Chester. Chester morreu no mesmo dia em que Cornell faria 53 anos. Ele também era padrinho dos filhos de Cornell. Os dois estavam tocando com suas bandas. Frente a morte de Cornell (no funeral, Chester cantou Hallelujah), Chester publicou uma carta falando sobre a dor que sentia e como sentia-se feliz por ter feito parte da vida dele. Num dos ultimos shows de Chester com o Linkin Park, homenageou o amigo com uma musica dele. Notavelmente estava afetado pela morte de Cornell. Stone Gossard, guitarrista do Pearl Jam e colega de Temple of the Dog, também sem emocionou e escreveu uma carta para o Cornell. Ainda disse que a morte de Cornell parece algo “próximo” para ele, e ainda contou que acorda no meio da noite e se lembra de Cornell. “Uma ausência cresce em meu estômago e lentamente se transforma em algo repetitivo, como uma galáxia distante ou a imagem de uma TV quebrada.” 

Muitas homenagens a todos, pelo que representam, mesmo ja tendo partido para quem fica. Feridas abertas que ficam em que faz parte de nossas vidas. Isso me fez pensar sobre o tema, a morte precoce e o suicidio. (Não desejo a dor para ninguém. Passei por isso na familia e sei muito bem como é cruel com quem fica). E algo que pode ajudar, e é dever de todos buscar maneiras de ajudar. Uma maneira é o número para a linha de ajuda em situações de risco. Aqui no Brasil a linha de prevenção ao suicídio funciona pelo número 141 e tem facilidade pelo site www.cvv.org.br (com atendimento por Skype, e-mail, chat e mais). Espalhe, é importante. Acontece, muito, e pequenos gestos podem fazer a diferença. 

Aqui está o link onde o Linkin Park faz sua homenagem para o seu vocalista:  http://chester.linkinpark.com/. Aqui está a carta do Stone Gossard em homenagem ao Cornell:  https://pearljam.com/news/happy-birthday-chris

Tantos outros que se foram de maneiras similar tantas outras homenagens, claro. 

Mas eu gostaria de terminar, ressaltando novamente que a dor naqueles que ficam é imensa. E se alguém pensar em tomar essa decisão, se matar através do suicídio, lembre-se do que aconteceu aqui - pode servir de exemplo para outros. Pense muito bem. Raciocine. E procure ajuda. Como saber se o grande Chester Bennington tomou coragem (já que ele já tinha cogitado antes) e cometeu esse ato após ver o Chris Cornell fazer o mesmo? 

Então pense bem, porque o que você fizer pode servir de exemplo para outros. Faça o melhor possivel de você. Os outros vão se espelhar e também, poderão buscar ser o melhor deles. Isso é muito, muito sério.

Cristofer Duff - Coluna Histórias do Rock

Rádio Núcleo Base - a rádio diferente... Sempre ... e CLIQUE NO PLAY...

0 Comentários

Adicione um comentário

Anunciantes