Até mesmo robôs de cor preta podem ser discriminados, diz pesquisa

O estudo Robots and Racism, publicado pela University Of Canterbury, aponta que a discussão racial se estende também para o mundo da robótica. A pesquisa indica que a relação com os robôs muda de acordo com a sua cor; o principal autor do artigo, Christoph Bartneck, chegou à conclusão de que as pessoas atribuem às máquinas raças com características antropomórficas, reproduzindo pensamentos racistas.O pesquisador sugere que a cor — preta ou branca — afeta o modo como acontece a interação. O resultado surgiu a partir de uma dinâmica baseada no Shooter Bias Test, na qual era preciso atirar em imagens de pessoas consideradas perigosas, com alguns robôs aparecendo na tela ocasionalmente. O ensaio apontou que vários robôs de cor preta, que não apresentavam nenhuma ameaça, foram mais atingidos do que os brancos.Leia mais...

Até mesmo robôs de cor preta podem ser discriminados, diz pesquisa

O estudo Robots and Racism, publicado pela University Of Canterbury, aponta que a discussão racial se estende também para o mundo da robótica. A pesquisa indica que a relação com os robôs muda de acordo com a sua cor; o principal autor do artigo, Christoph Bartneck, chegou à conclusão de que as pessoas atribuem às máquinas raças com características antropomórficas, reproduzindo pensamentos racistas.

O pesquisador sugere que a cor — preta ou branca — afeta o modo como acontece a interação. O resultado surgiu a partir de uma dinâmica baseada no Shooter Bias Test, na qual era preciso atirar em imagens de pessoas consideradas perigosas, com alguns robôs aparecendo na tela ocasionalmente. O ensaio apontou que vários robôs de cor preta, que não apresentavam nenhuma ameaça, foram mais atingidos do que os brancos.

Leia mais...